Uma região fundamental para os vinhos australianos – Revista Sociedade da Mesa

Com uma rica história de videiras e vinhos que remonta a 1842,
o Barossa Valley é uma das regiões produtoras de vinho mais históricas da Austrália. Nela estão algumas das mais antigas videiras de Shiraz do mundo, cujas mudas iniciais foram plantadas em 1847 pelo pioneiro de origem alemã Johann Friedrich August Fiedler.

Séculos sucederam-se e a região foi fundamental na evolução
do vinho australiano nas décadas de 1970 e 1980, difundindo-o
de forma global. A variada gama de vinhos da região conquistou
os apreciadores do mundo todo, de escritores e sommeliers até novatos.

A uva Shiraz é a grande estrela da região e boa parte de sua produção é usada na elaboração do Penfolds Grange, o vinho mais famoso da Austrália. Outras variedades importantes cultivadas na região são Riesling; Semillon; Grenache, e Cabernet Sauvignon. Os vinhos fortificados também são uma marca tradicional de Barossa Valley.

Mais do que parte da cultura local, desde 1842 o vinho é levado a sério como um estilo de vida em Barossa Valley. São mais de 550 famílias de produtores de uvas, muitas já em sua sexta geração, que continuam trabalhando naquelas terras e fornecendo uvas de qualidade a mais de 170 empresas produtoras de vinho, o que justifica, em grande parte, a fama mundial da região.

Atualmente há uma geração de produtores que estão novamente ajudando a, mais uma vez, mudar a cara do vinho do vale de Barossa. Alguns vêm de famílias que fazem parte da região desde o Século XIX.
Outros vêm de diversas partes do mundo para explorar a rica diversidade de solos e terroirs que tornam
a região mundialmente famosa. Todos eles buscam, com seu trabalho, explorar opções inovadoras de variedades de uvas, experimentando novos estilos de cultivo e vinificação.

O cultivo orgânico e biodinâmico, a fermentação de cachos inteiros, o contato prolongado com
a pele, a fermentação em ânforas e a vinificação com intervenção mínima são apenas algumas das novas técnicas empregadas por esses produtores, na intenção de harmonizar modernidade e experimentalismo com a tradição vinícola de Barossa Valley.

Barossa incorpora tanto o Barossa Valley como o Eden Valley, tornando–se a única região da Austrália
com um clima moderado e também frio. Durante o dia apresenta uma variação de temperatura, usufruindo do sol, baixa umidade e pancadas de chuva. Há na região diferentes tipos de solos: terrenos de barro argiloso de fertilidade relativamente baixa até mais arenosos com uma variação de cor de cinza a marrom avermelhado, onde estão plantados aproximadamente 11.370 hectares de vinhedos.

Texto: Paula Taibo

 

Fonte oficial: Sociedade da Mesa

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Locomotiva Viagens. Lembramos ainda que o Locomotiva Viagens é um site jornalístico, que apenas divulga as promoções de passagens aéreas, ele não vende nenhum produto ou serviço. Você deve comprar na empresa de sua preferência, sempre observando as regras de cada passagem.

Comentários