Turismo e Iphan lançam campanha de valorização do patrimônio dos bens do Sul

VALORIZAÇÃO DO PATRIMÔNIO

Valorização do patrimônio do Sul do Brasil pelo turismo será o foco do Iphan em 2019. Uma das metas dos 100 dias do MTur é instituir a Política Nacional de Gestão Turística dos Patrimônios Mundiais

Por Geraldo Gurgel * com informações da Assessoria de Comunicação do IPHAN

Autoridades durante evento. Crédito: Glória Tega/Iphan

O secretário nacional de Desenvolvimento e Competitividade do Turismo do Ministério do Turismo, Aluizer Malab, participou nesta quinta-feira (7), em Porto Alegre (RS), do lançamento da campanha “Patrimônio Cultural do Sul: Turismo Cultural como ativo para o desenvolvimento das cidades históricas”. A cerimônia aconteceu no gabinete do governador, Eduardo Leite, no Palácio Piratini, e contou com a presença do ministro da Cidadania, Osmar Terra, da presidente do Iphan, Kátia Bogéa, além de dirigentes nacionais e superintendentes do Instituto na região Sul.

A campanha destaca uma vasta lista de edificações, conjuntos urbanos, manifestações, bens arqueológicos e ferroviários reconhecidos como referências culturais. Apesar de ser a menor região brasileira em extensão territorial, o Sul oferece um inventário plural de bens culturais e atrativos turísticos que serão divulgados, valorizados, promovidos e debatidos coletivamente entre o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), Ministério do Turismo e demais parceiros ao longo de 2019.

A instituição da Política Nacional de Gestão Turística dos Patrimônios Mundiais foi escolhida como uma das 35 metas do Governo Federal para os primeiros 100 dias da gestão Bolsonaro. A edição de um decreto com essas diretrizes deve contribuir para o incremento sustentável da visitação nas cidades históricas, viabilizando a preservação e valorização da cultura local. A ideia é que a proposta também permita o ordenamento do turismo nos Patrimônios Naturais Mundiais do Brasil, como uma estratégia fundamental para a conscientização da sociedade sobre a importância da proteção do meio ambiente.

Malab destacou a importância do turismo para promover e preservar o patrimônio cultural e natural, além de desenvolver os destinos com a geração de empregos e impostos para as comunidades, inclusive no entorno dos parques naturais e sítios históricos. “Os bens naturais e manifestações culturais protegidos, em todo Brasil, possuem grande potencial turístico que, trabalhados e qualificados, como nessa parceria entre o MTur e o IPHAN, podem ampliar a atração de turistas e o desejo de explorar esses atrativos, além da responsabilidade de se preservar, ainda mais, o nosso patrimônio”, disse o secretário do MTur.

O Patrimônio Cultural do Sul reflete a diversidade dos mais de 28 milhões de habitantes dos três estados: Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Milhares de turistas visitam, anualmente, o Parque Nacional do Iguaçu (PR) na fronteira entre o Brasil, Argentina e Paraguai; o Sítio Arqueológico São Miguel Arcanjo (RS); além de 13 cidades históricas protegidas na região.

“É com esse olhar que o Iphan mais uma vez tem o futuro como meta e, em 2019, busca atuar também com uma forte parceria com o Ministério do Turismo, visando implementar ações que incentivam o turismo cultural”, disse a presente do Instituto, Kátia Bógea.

SÃO MIGUEL DAS MISSÕES – Nesta sexta-feira (8), o secretário nacional de Desenvolvimento e Competitividade do Turismo participa da cerimônia de assinatura da ordem de serviço da obra de requalificação urbana do entorno do Sítio Arqueológico de São Miguel Arcanjo. O projeto tem como objetivo promover a melhoria da infraestrutura urbana do entorno do sítio tombado desde 1983 como Patrimônio Mundial da Unesco.
Estão previstas a construção de ciclovias, calçadas, trilhas e paisagismo, entre outras intervenções. A obra está orçada em R$ 3,05 milhões. Ainda em São Miguel das Missões, será feita a entrega do certificado da Tava – lugar de referência para a memória e a identidade do povo Guarani – como Patrimônio Cultural do Mercosul.

 

Fonte oficial: Ministério do Turismo

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Locomotiva Viagens. Lembramos ainda que o Locomotiva Viagens é um site jornalístico, que apenas divulga as promoções de passagens aéreas, ele não vende nenhum produto ou serviço. Você deve comprar na empresa de sua preferência, sempre observando as regras de cada passagem.

Comentários