Rugas da saúde – Revista Sociedade da Mesa

Popular, importante, desejada e misteriosa. Não há consenso sobre o exato local de surgimento da uva. São citados Oriente Médio, Europa, norte de Ásia e até Groenlândia. Certo é que a fruta caminha entre nós desde os tempos pré-históricos e contabiliza mais de 60 mil variantes. E alguma delas, em uma época anterior à Roma ou
ao Egito antigos, despencou da videira e ficou exposta ao sol até secar.

O ser humano, que não é bobo nem nada, soube tirar proveito dessa descoberta acidental, a enrugada, energética e adocicada
uva-passa, livre de colesterol e glúten.

Uma vez submetida à desidratação (por meios naturais ou artificiais), a uva que vira a pequena passa
pode ser armazenada por longos períodos e facilmente transportada em viagens. Ainda por cima é
mais nutritiva, pois nela os compostos e vitaminas estão mais concentrados.

O tipo mais utilizado em escala global vem da chamada uva sultanina, originária da região de Anatólia, Turquia (Pérsia Antiga). É a uva que a gente conhece como Thompson, o sobrenome do vitivinicultor
que introduziu a variedade na Califórnia, ao fim do século XIX. Ali começava o império do agricultor e o reinado das Thompson Seedless Grapes, as bem-vindas uvas sem sementes.

Texto: Spartaco Rodrigues

 

Fonte oficial: Sociedade da Mesa

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Locomotiva Viagens. Lembramos ainda que o Locomotiva Viagens é um site jornalístico, que apenas divulga as promoções de passagens aéreas, ele não vende nenhum produto ou serviço. Você deve comprar na empresa de sua preferência, sempre observando as regras de cada passagem.

Comentários