INVESTE TURISMO

Programa contempla cinco municípios com ações que desenvolverão o setor turístico do Mato Grosso

Por Victor Alves, enviado especial 

Cuiabá, Nobres, Poconé, Chapada dos Guimarães e Cáceres serão os primeiros municípios do Mato Grosso a serem contemplados no programa Investe Turismo. Desenvolvido pelo Ministério do Turismo, em parceria com a Embratur e o Sebrae, o projeto foi apresentado ao trade do estado nesta segunda-feira (15). A iniciativa tem o objetivo de aumentar a capacidade turística da região, gerando emprego e renda para a população. Ao todo, 30 rotas de todo o país estão inseridas na primeira etapa do programa com investimento na ordem de R$ 200 milhões.

O secretário nacional de Desenvolvimento e Competitividade do Turismo, Aluizer Malab, abriu o evento e iniciou sua fala parabenizando o estado pelo interesse em desenvolver o turismo na região. “Eu acho que é importante quando temos vontade política e estamos dentro da agenda do governo. Aqui, a gente percebe isso com clareza. Em todas as conversas sobre turismo, tenho visto que todos têm o mesmo sentimento: potencialidade é a palavra de ordem”, destacou.

Ainda em seu discurso, o secretário do Ministério do Turismo pontuou a importância do setor para o desenvolvimento não só de Mato Grosso, mas de todo o Brasil. “Essa indústria limpa do turismo nos traz uma possibilidade muito bacana de criação de emprego. A gente precisa de mão de obra para realizá-la e isso significa mais trabalho para a população”, finalizou.

O governador do Mato Grosso, Mauro Mendes, também esteve presente no lançamento e destacou a potencialidade turística do estado para o desenvolvimento da região. “Nós temos aqui diversas riquezas e cabe a nós fazer essa parceria com o Sebrae e o Ministério do Turismo para um planejamento de verdade. As boas decisões são aquelas que atendem o interesse da nossa população “, concluiu.

Para o secretário estadual de Desenvolvimento Econômico e Turismo do Mato Grosso, César Miranda, o Investe Turismo é só o início de uma série de ações para o aumento da movimentação turística no estado. “Nós estamos construindo um novo projeto de desenvolvimento para o Mato Grosso e não existe desenvolvimento sem falar em turismo. É uma indústria limpa, que gera emprego e movimenta a economia”, complementou Miranda.

Entre as ações propostas pelo programa estão o aprimoramento dos atrativos turísticos dos estados brasileiros, a comercialização dos destinos e a atração de investimentos e apoio ao acesso a linhas de crédito e fontes de financiamento. Além disso, a iniciativa trabalha para a união dos setores público e privado no intuito de preparar e promover o serviço turístico da rota mato-grossense, que tem como ponto forte o turismo de natureza e o ecoturismo.

As rotas turísticas estratégicas são o agrupamento da oferta turística de um ou mais municípios para fins de planejamento, gestão, atração de investimentos e promoção. Dentre os critérios utilizados para seleção das rotas estão a participação de municípios incluídos no Mapa Brasileiro do Turismo 2018 e classificados nas categorias A, B, C ou D; ter destinos já promovidos em âmbito nacional pelo Ministério do Turismo e pelo menos um consolidado no mercado internacional; além de ter patrimônios mundiais da humanidade eleitos pela Unesco.

INVESTIMENTOS – O Ministério do Turismo tem destinado recursos crescentes para a infraestrutura turística no Mato Grosso. Desde 2003, ano da criação do órgão, a Pasta já destinou R$ 197 milhões para cerca de 400 projetos que contemplam desde a construção de parques e pavimentação de estradas até a construção de um terminal turístico. Além disso, o estado teve dois projetos aprovados com o Selo +Turismo que somam R$ 300 milhões em investimentos. A ideia é alavancar a infraestrutura aos visitantes e promover pesquisas e planejamento do mercado turístico no estado. Em todo o Mato Grosso, 1.685 prestadores de serviços turísticos já se encontram no Cadastur (Cadastro de Prestadores de Serviços Turísticos) do Ministério do Turismo.

AGENDA – Durante a agenda em Mato Grosso, o secretário nacional de Desenvolvimento e Competitividade do Turismo, Aluizer Malab, se reuniu, antes do lançamento do programa Investe Turismo, com o governador do Mato Grosso, Mauro Mendes, e conheceu os projetos do estado para o desenvolvimento do setor na região. Entre as ações está o aprimoramento da infraestrutura e dos serviços turísticos da Chapada dos Guimarães, uma das portas de entrada do turismo local e uma das regiões beneficiadas pelo programa do MTur.

Ainda no estado, o secretário do Ministério do Turismo visitou a Orla do Porto, principal ponto turístico de Cuiabá. O local conta a história da cidade e recria alguns dos primeiros monumentos arquitetônico da capital mato-grossense. O Mercado Municipal e o Rio Cuiabá também fizeram parte da programação de visitas a atrativos da cidade.

Edição: Cecília Melo 

Fonte oficial: Ministério do Turismo

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Locomotiva Viagens. Lembramos ainda que o Locomotiva Viagens é um site jornalístico, que apenas divulga as promoções de passagens aéreas, ele não vende nenhum produto ou serviço. Você deve comprar na empresa de sua preferência, sempre observando as regras de cada passagem.

CIDADES CRIATIVAS

As regiões pretendem integrar a Rede de Cidades Criativas da entidade. Atualmente, o país conta com oito selos; resultado sai até fim de outubro

Por Cecília Melo

Laboratório de ideias e de práticas inovadoras em prol do desenvolvimento sustentável. Esse é o objetivo da Rede de Cidades Criativas, da Unesco, que tem quatro cidades brasileiras candidatas a títulos para este ano. Belo Horizonte (MG) concorre na categoria Gastronomia, Cataguases (MG) em Cinema, Fortaleza (CE) no segmento Design e Aracaju (SE) na música. O resultado sai até o fim de outubro.

Por meio de políticas públicas, boas práticas e projetos de base que promovam a participação de todos – incluindo mulheres, jovens e grupos vulneráveis, a rede coopera de forma decisiva para o alcance dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030 das Nações Unidas. Atualmente, a rede, criada em 2004, conta com 180 cidades em 72 países. Oito delas são no Brasil: Belém (PA), Florianópolis (SC) e Paraty (RJ), no campo da Gastronomia; Brasília (DF) e Curitiba (PR), no do Design; João Pessoa (PB), em Artesanato e Artes folclóricas; Salvador (BA), na Música; e Santos (SP), no Cinema.

Para a coordenadora de Meio Ambiente, Cultura e Economia Criativa do Ministério do Turismo, Nicole Facuri, o aproveitamento dos setores da economia criativa como ativos para agregar valor e desenvolver novos produtos e destinos turísticos são de grande importância para a diversificação da oferta turística nacional, sobretudo no Brasil, que tem a criatividade como diferencial.

“O turismo criativo ou turismo de experiência representa uma tendência de consumo em todo o mundo. O MTur tem apoiado ações que promovam e incentivem o consumo de produtos turísticos estruturados a partir do capital cultural, intelectual e na criatividade, como audiovisual, design, gastronomia, conteúdos literários, artes visuais, entre outros”, ressalta Nicole.

Belo Horizonte concorre na categoria Gastronomia, um dos ícones da cultura mineira. Foto: Pedro Vilela/Banco de Imagens MTur Destinos

SOBRE AS CANDIDATURAS/SINGULARIDADE

Com uma arte culinária singular e que remete a uma tradição de décadas, Belo Horizonte vem se consolidando cada vez mais como um ativo imprescindível para o turismo gastronômico no país. Hoje, a gastronomia responde por quase 40% dos empregos na economia criativa de Belo Horizonte, com mais de 21 mil pessoas formalmente empregadas. Segundo a Abrasel-MG, o setor movimenta 4,5 bilhões de reais por ano, considerando as suas 45.662 empresas do setor de alimentos, das quais 18.699 são bares e restaurantes, distribuídos em mais de 10 polos gastronômicos.

Aprovada por 96% dos turistas estrangeiros que visitam o estado, a gastronomia de Minas Gerais só perde para a hospitalidade do brasileiro, segundo estudo do perfil do visitante estrangeiro feito anualmente pelo Ministério do Turismo. O modo artesanal de fazer queijo de minas nas regiões do Serro e das Serras da Canastra e do Salitre é patrimônio imaterial do Brasil (IPHAN) e já atrai turistas de diversas partes do país para as fazendas do interior do estado. Além disso, a Rota do Queijo Terroir Vertentes levou o segundo lugar na 1ª edição do Prêmio Nacional do Turismo, em dezembro de 2018. O projeto promove o desenvolvimento econômico e da gastronomia mineira nos 23 municípios que integram o Circuito Turístico Trilha dos Inconfidentes e Terroir Vertentes, gerando mais trabalho e renda para a região.

Ao se candidatar ao título de Rede de Cidade Criativa da Música, Aracaju pretende estabelecer uma poderosa indústria criativa com investimentos nacionais e internacionais, uma vida cultural participativa incluindo os mais vulneráveis e um desenvolvimento urbano onde a música é um fator estratégico de desenvolvimento sustentável. Do ritmo tradicional de forró, a cidade hoje se reinventa em misturas de rock e jazz, além de ritmos contemporâneos nos mercados nacionais e internacionais. Principal ativo da economia criativa de Aracaju, a cena musical é efervescente com projetos independentes, privados e públicos, além de meio de subsistência para músicos, técnicos e produtores. Quase 250 grupos e artistas ocupam 36 teatros e cinco festivais.

Aspirante ao título de Design, a capital do Ceará é considerada a 4ª capital do país em número de estabelecimentos do segmento, depois de São Paulo, Rio de Janeiro e Curitiba. Além disso, Fortaleza ocupa hoje a terceira posição entre as capitais brasileiras em número de empregos formais no setor de Design, com uma taxa de 273,9 projetistas por milhão de habitantes, 80% superior à média brasileira. Tudo teve início com o ciclo da plantação de algodão no Ceará, a partir do século XVIII, quando o processo de industrialização de Fortaleza se consolidou com a criação de um parque industrial têxtil e uma área de produção de moda.

Já no quesito Cinema, a cidade mineira Cataguases é quem encabeça a candidatura do Brasil à rede da Unesco. Com um polo audiovisual em ascensão desde 2002, a região se destaca no cenário cultural nacional, sendo reconhecida como um modelo produtivo arranjo regional e como um grande centro de produção cinematográfica no país. A criação de uma escola-estúdio para qualificação profissional de alto nível em design audiovisual e transmídia, com foco no setor de animação, é um dos projetos a serem desenvolvidos, após o título da cidade na Rede de Cidades Criativas. O principal evento na cidade é o Festival Ver e Fazer Filmes que já teve a participação de jovens estudantes de Portugal, Moçambique, Cabo Verde e Angola.

15.07.2019 Aracaju
Aracaju (SE) concorre na categoria Música. Na foto, o tradicional forró das festas juninas na capital sergipana. Foto: Roberto Castro/MTur

COMO FAZER PARTE

Para integrar a rede, a cidade deve preparar um plano de desenvolvimento no campo criativo em que a região se candidatou. O processo de seleção é feito por dois comitês: um técnico, com representação em cada categoria, designado pela Unesco; e um comitê de representantes das cidades já integrantes da Rede, em cada categoria. Ao conquistar o título, a cidade tem a oportunidade de integrar uma rede internacional de cooperação que envolve outros setores criativos, além de participar de projetos estratégicos em âmbito internacional e fomentar a indústria criativa local de forma sustentável e inclusiva.

Edição: Vanessa Sampaio

Fonte oficial: Ministério do Turismo

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Locomotiva Viagens. Lembramos ainda que o Locomotiva Viagens é um site jornalístico, que apenas divulga as promoções de passagens aéreas, ele não vende nenhum produto ou serviço. Você deve comprar na empresa de sua preferência, sempre observando as regras de cada passagem.

Vai viajar para Milão? Então conheça aqui os melhores pontos turísticos da cidade e monte um roteiro incrível.

Milão, uma das cidades mais charmosas da Itália, é uma referência mundial quando o assunto é elegância e bom gosto. Não é a toa que recebe o título de capital internacional da moda. Além disso, é privilegiada por ser riquíssima em assuntos relacionados à arte, arquitetura e história.

Fundada em 590 a.C., essa cidade é considerada uma das mais antigas do mundo. Hoje, é um dos principais centros industrial, comercial, financeiro e universitário da Itália. Além disso, uma boa parte dos seus habitantes são estrangeiros, o que a faz ter uma grande diversidade cultural.

Só até aqui já deu para perceber o quanto Milão é importante e ocupa um lugar especial na Europa, não é mesmo? Continue a leitura e veja as dicas que separamos para você que decidiu passar alguns dias nessa cidade espetacular.

Veja o que fazer em Milão

A seguir apresentamos alguns pontos turísticos que você não pode deixar de conhecer ao visitar a cidade.

1. Piazza e Catedral Duomo

Piazza Duomo é uma das principais praças italianas. Ela fica bem no centro de Milão e é por lá que acontecem vários eventos da cidade. No meio da praça há o Monumento Equestre de Vittorio Emanuele II.

Uma das marcas registradas da praça e da cidade é a Catedral Duomo di Milano. Os projetos para a construção dessa verdadeira obra de arte tiveram início em meados de 1386, mas a sua conclusão só ocorreu em 1813. Uma arquitetura gigantesca, não é mesmo?

Ela recebe o título de terceira maior Catedral do mundo. Tudo aquilo que existe por lá como as estátuas, o piso, as colunas de sustentação, os vitrais, entre outros detalhes encantam os visitantes. Por isso, é inadmissível ir à capital internacional da moda e não reservar um tempinho para conhecer esse incrível ponto turístico.

2. Teatro Alla Scala de Milão

Praticamente todas as construções da cidade são marcadas pela elegância e sofisticação. Assim, o Teatro Alla Scala não foge à regra. Toda sua exuberante construção, que data de 1778, foi feita para substituir o antigo Teatro Regio Ducale que foi destruído por um incêndio.

O Alla Scala está entre os melhores teatros de ópera do mundo. A visita é válida mesmo se no dia não houver nenhuma apresentação, pois só a arquitetura já é suficiente para fazer brilhar os olhos dos turistas.

Dessa forma, ao adquirir o ingresso, você terá direito a um tour guiado pelas partes mais interessantes do teatro.

3. Castelo Sforzesco

Castelo Sforzesco conta muito sobre a história e a cultura da cidade. A sua construção data do século XV e era habitada pelo Duque de Milão, o Francesco Sforza. O Castelo já passou por inúmeras mudanças até chegar àquilo que se observa nos dias atuais.

No passado, a população tentou destruí-lo várias vezes, pois era um símbolo de tirania. Afinal, ele foi transformado em base militar quando aconteceu a invasão pela França. Só após o século XIX que ele passou a ser visto com bons olhos pelos habitantes.

Atualmente, é um importante ponto turístico da cidade que abriga museus e bibliotecas. Por isso, é uma ótima opção de passeio quando estiver nessa cidade tão charmosa.

4. Parque Sempione

Bem atrás do Castelo Sforzesco há um parque lindo que é denominado Sempione. No passado, ele era o jardim do referido castelo. Logo, só era frequentado pela família real. Hoje, ele pode ser visitado por qualquer pessoa.

O lugar é cercado por árvores, gramas e lagos. Por isso, é um bom ambiente para descansar e apreciar uma linda vista.

No Sempione, você encontrará o Arco da Paz. A construção, datada do século XIX, é rica em detalhes, além disso, é considerada a porta de entrada para o parque.

5. Quadrilátero da Moda de Milão

Você não vai passar por Milão sem conhecer o famoso quadrilátero da moda, não é mesmo? Ele é um complexo de lojas que engloba as ruas Alessandro Manzoni, Venezia, della Spiga e a Monte Napoleone.

Nessa região da cidade, é possível encontrar as mais renomadas grifes. Mesmo se você não estiver disposto a fazer compras, vale muito a pena conhecer o encanto dessas ruas tão charmosas.

6. Galeria Vittorio Emanuelle II

Se você está em busca de mais um lugar cheio de charme para conhecer, a dica é a Galeria Vittorio Emanuelle II. Ela liga a Praça Duomo à Praça Scala e, assim, forma um octógono no centro, o qual tem uma cobertura de ferro e vidro bastante luxuosa.

Durante a Segunda Guerra Mundial, o lugar foi quase todo destruído. No entanto, a galeria foi reformada e hoje conta com muitas lojas de marcas famosas, além de excelentes cafés e restaurantes.

Descubra qual é o melhor momento para conhecer Milão

A época certa para conhecer Milão dependerá muito daquilo que você procura, bem como do seu gosto. Assim, um dos principais fatores a serem analisados é o clima.

Nesse sentido, se você gosta de dias mais quentes, o mês de julho será perfeito. Mas fique sabendo que nesse período a cidade fica bem cheia. Logo, os preços dos hotéis serão bem mais elevados.

Por outro lado, você terá a sorte de ir em uma época em que as lojas costumam fazer promoções. Quem sabe você consegue fazer compras no quadrilátero da moda por um preço mais acessível?

Na primavera (março a junho), a temperatura é muito agradável. Assim, fica bem melhor para aproveitar os pontos turísticos da região.

Um detalhe que você precisa ter atenção é que a cidade fica um pouco parada em agosto. Nesse período, muitas lojas e restaurantes estão fechados por causa das férias coletivas. Assim, analise se viajar nesse mês será algo interessante para você.

Mas se quiser conhecer a cidade nos dias de frio, fique sabendo que dezembro é o melhor mês. Dessa forma, caso escolha esse período, vá preparado! As temperaturas podem ficar abaixo de zero.

Agora que você já conhece os principais pontos turísticos de Milão, faça as malas e realize uma superviagem. Para isso, escolha a melhor data, faça um roteiro bem legal e procure adquirir passagens inteligentes, que podem ser compradas por um preço bem em conta sem ser preciso viajar ida e volta com a mesma companhia aérea. E com o valor que você economizará, será possível fazer boas compras na capital internacional da moda!

Gostou de conhecer um pouco mais sobre essa cidade tão elegante? Então assine nossa newsletter e receba outras dicas de viagem no seu e-mail.

Fonte oficial: Blog MaxMilhas.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Locomotiva Viagens. Lembramos ainda que o Locomotiva Viagens é um site jornalístico, que apenas divulga as promoções de passagens aéreas, ele não vende nenhum produto ou serviço. Você deve comprar na empresa de sua preferência, sempre observando as regras de cada passagem.

Pesquisa é a palavra que melhor define a chef Ana Luiza Trajano, que trabalha buscando ingredientes regionais e valorizando a culinária típica de cada lugar. Ela diz que para conseguir realizar esse resgate, decidiu viajar pelo País para visitar moinhos de mandioca, engenhos de rapadura e até tribos indígenas, identificando uma comida que está distante das mesas dos restaurantes. Para ela, é essencial acompanhar todo o processo para compreender melhor o resultado. E o Brasil é um país riquíssimo em ingredientes, alguns ainda desconhecidos de boa parte da população. Por isso, é fundamental mapear e preservar essa astronomia que faz parte da cultura de cada lugar. “É muito importante valorizar as nossas próprias tradições e entender que as nossas receitas são as nossas histórias”, comenta. E, com o intuito de ajudar nesse resgate, foi criado o Instituto Brasil a Gosto que, há três anos, dedica-se à realização de pesquisas, promove aulas e apoia iniciativas em prol da cultura gastronômica. Sua missão é fomentar projetos que valorizem os ingredientes nacionais e garantam
sua acessibilidade ao público. “O Instituto Brasil a Gosto luta para que a autêntica cozinha brasileira, arraigada em técnicas, saberes e produtos, seja uma realidade nos fogões e nas mesas de todas as casas do País”, define Ana Luiza.

A chef Ana Luiza Trajano diz que os ingredientes nacionais são a sua maior inspiração e pesquisar ajuda a resgatar muitos desses sabores.

Para entender melhor esse mergulho em pesquisas, viagens e busca por uma comida simples, mas repleta de história, confira a entrevista com a chef Ana Luiza Trajano:

1. Como percebeu que não gostaria de seguir os negócios da família (ela é filha de Luiza Helena Trajano, do Magazine Luiza), mas sim, seguir pela trajetória da gastronomia?
Desde criança, sempre gostei muito da cozinha e tudo o que a envolvia. Da horta ao fogão, do pomar à mesa. Minha maior motivação é a busca, a pesquisa pelos ingredientes brasileiros e o que eles têm a oferecer. A gastronomia nacional é, sem dúvida, minha maior motivação. Sou neta de mineiros e cearenses. Sempre tive uma forte ligação com a cozinha e aprendi muito com meus avós. Desde menina, gosto de cozinhar para quem amo e acho que não escolhi, mas sim, fui escolhida pela gastronomia.

2. Você explora a cultura e os sabores de diversas regiões do Brasil. Como conseguiu realizar tantas descobertas?
Por meio das minhas viagens de pesquisas, nas quais mergulho na cultura e tento viver, ao máximo, como um local, descobrindo seus hábitos e costumes. Queria trazer ao público, em geral, o respeito às tradições culinárias, a valorização dos ingredientes e dos produtores região por região e o mais importante: a divulgação desses saberes. Com isso na cabeça, iniciei uma série de viagens pelo País, visitando desde moinhos de mandioca, engenhos de rapadura até tribos indígenas, para mostrar uma cultura que, às vezes, fica muito distante das mesas dos restaurantes e das recepções formais.

3. Por que você considera essencial valorizar a comida regional?
Porque é nela que moram nossos tantos “Brasis” e, assim, podemos mapear, entender e conhecer melhor a nossa cultura. #pelacozinhabrasileira se transformou em minha tatuagem de espírito e a tradução ideal do trabalho que tenho feito para que o brasileiro tenha orgulho de suas receitas, de seus produtos e leve essa tradição de sua casa para o mundo. Acredito que o Patrimônio Cultural Alimentar do Brasil também está nos mercados municipais, nas feiras de rua e supermercados, nas mesas de todos os brasileiros, de volta ao nosso dia a dia. Nossa culinária, muitas vezes esquecida e desvalorizada, precisa ser promovida e entendida para que se torne um agente importante de mudanças, preservando nossa identidade.

4. Quais ingredientes são importantes para compor um bom cardápio? Qual sua sugestão em uma feira livre, por exemplo? O que sempre deve ser levado e por quê?
O que é importante para compor um bom cardápio é ter equilíbrio dos sabores e também um equilíbrio nutricional dos pratos. Quando você vai à feira, depende
muito de procurar e selecionar o que está na estação. Se você não é muito familiarizado com a cozinha, proponha- se a sempre pegar algo diferente para ir trabalhando e não ficar sempre na mesma seleta de produtos.

5. Para você, quais são os ingredientes mais versáteis da culinária brasileira? Vale apostar nesses alimentos para buscar diferentes formas e sabores?
Os versáteis da cozinha brasileira são o milho e a mandioca. Você pode fazer coisas doces e salgadas,cozidos ou feito um purê, e ainda pratos com as farinhas que eles dão. Das ervas: coentro, salsinha, cebolinha. Outro ingrediente muito versátil é a abóbora, sem esquecer as pimentas, que acompanham tudo.

6. Você acha que o brasileiro está se reencontrando com suas tradições culinárias, ou seja, aprendendo a valorizar coisas simples, mas muito nutritivas?
Acho que a gente está se reencontrando com o que a gente sempre comeu. É muito importante valorizar as nossas próprias tradições e entender que as nossas receitas são as nossas histórias. Na verdade, o que estamos fazendo é nos reconectar com o que sempre fomos. Um exemplo disso é a própria tapioca, que voltou ao café da manhã de muitas pessoas por uma questão de saúde, afinal a mandioca tem glúten com baixo índice glicêmico.

7. E com relação aos condimentos, o que não pode faltar?
Uma boa pimenta não pode faltar, uma boa base de um refogado de alho e cebola para qualquer preparo de comida brasileira e muitas ervas. A gente tem uma infinidade de ervas que vão muito além da salsinha e cebolinha.

8. Você gosta de criar novas receitas. Quais são suas inspirações para cozinhar?
A criação faz parte da minha base do cotidiano. Principalmente na cozinha caseira, se você for pensar, a gente tem que estar o tempo todo criando para fazer pratos maravilhosos e evitar o desperdício. A base da carreira de um chef é sempre estar criando a partir de algo que vê. As minhas inspirações para as minhas criações sempre foram as minhas viagens e conhecer a fundo as formas artesanais e ancestrais de produção.

9. O que mais gosta de preparar? Por quê? E para quem?
Eu gosto de preparar qualquer coisa na cozinha. Cozinhar para mim é a minha terapia; não tem o que eu mais gosto de cozinhar, depende do dia e do humor, e do que eu quero fazer.

10. Comida precisa ter alma? Qual o segredo para colocar amor em um prato?
A comida precisa de entrega e para tudo que a gente tem muito amor, também tem muita entrega. Eu acredito que uma comida feita com muita entrega, transparece
no resultado final, a comida fica mais saborosa. Tem algo invisível ali. Sim, eu acredito.

11. O Instituto Brasil a Gosto foi criado com o intuito de valorizar e preservar a culinária brasileira, destacando suas matérias-primas e processos artesanais. Qual é a importância desse trabalho desde o seu início?
A ideia do instituto é ter um espaço totalmente dedicado para a realização de pesquisas com o objetivo de resgatar as tradições gastronômicas nacionais e poder divulgar o conhecimento sobre a nossa cozinha. Além das pesquisas, há também cursos sobre temas específicos como queijos, fermentação de pães e bebidas brasileiras, ministrados por profissionais especialistas em cada tema. O instituto promove e apoia diversas iniciativas para que a gente possa conhecer e consumir cada vez mais a nossa cultura gastronômica. Acho muito importante resgatarmos os sabores e nossas lembranças e assim fomentarmos a culinária nacional.

Pingue-pongue:
Um hobby: estar com a família e amigos.
Um desejo: que a cozinha brasileira volte ao cotidiano das pessoas.
Qual palavra te define: pesquisadora.
Para ser um Chef consagrado, é preciso: entender o que está por trás de um determinado prato, desde a sua origem, os ingredientes utilizados até o seu preparo.

Texto: Simone Cunha

Fonte oficial: Sociedade da Mesa

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Locomotiva Viagens. Lembramos ainda que o Locomotiva Viagens é um site jornalístico, que apenas divulga as promoções de passagens aéreas, ele não vende nenhum produto ou serviço. Você deve comprar na empresa de sua preferência, sempre observando as regras de cada passagem.

Está pensando em conhecer Berlim? Então, este post foi feito para você. Continue a leitura e vamos montar o roteiro perfeito juntos! 😀

Plural, cosmopolita e histórica: essa é Berlim, capital da Alemanha e maior centro urbano do país. Com tantas atrações, trata-se de um dos mais imperdíveis destinos europeus — não é à toa que nunca para de receber visitantes de todos os cantos do mundo, independentemente da época do ano. Além disso, não dá para negar a importância da cidade para a história da humanidade. Ela já foi palco de duras batalhas, se reconstruindo ao longo dos anos até voltar a prosperar.

Se você gosta de cultura, história e diversidade, pode ter certeza de que Berlim é o destino ideal. Mas, não se preocupe, a capital alemã nunca para e é repleta de kneipen (“pubs”, em alemão), bares e clubes para aqueles que não dispensam uma vida noturna de qualidade. Há, também, aqueles passeios que ninguém pode deixar de fazer quando visita a cidade.

Quer saber de quais atrações estamos falando? Então, continue com a gente e boa leitura!

1. Conheça o Palácio de Reichstag

Esse é certamente um dos pontos turísticos mais procurados de Berlim, afinal, o Palácio de Reichstag é nada mais nada menos que a sede do parlamento alemão — e já vivenciou momentos marcantes para a história do país e do mundo. Foi nele que, em 1918, o político Philipp Scheidemann proclamou a República na Alemanha.

Em 1933, o prédio entrou em chamas após a chegada de Adolf Hitler ao poder. O incidente foi utilizado pelos nazistas como pretexto para iniciar uma perseguição aos seus oponentes. Já em 1945, uma bandeira da União Soviética foi hasteada no que restou de sua construção para simbolizar a vitória dos aliados sobre o eixo, na Segunda Guerra Mundial.

Restaurado, hoje, o Palácio de Reichstag abre sua cúpula e terraço para visitantes de forma gratuita. No entanto, por conta da grande demanda, é preciso fazer um agendamento com, no mínimo, 2 dias de antecedência por meio deste site. Se você estiver indo durante o verão, poderá até mesmo entrar no espírito dos berlinenses e aproveitar o gramado em frente ao prédio para tomar um sol, relaxar, praticar esportes etc.

2. Visite o Memorial do Holocausto

Quem se interessa pela Segunda Guerra Mundial, além do Palácio do Reichstag, tem em Berlim um leque amplo de museus e monumentos que contemplam essa parte da história, fazendo com que o mundo nunca se esqueça do que ocorreu naquela época. Esse é o caso do Memorial do Holocausto — que atrai e emociona até mesmo aqueles que não são curiosos pelo tema.

Localizado no coração de Berlim, o Memorial aos Judeus Mortos da Europa (ou simplesmente Memorial do Holocausto) foi inaugurado em 2005 como parte das celebrações de 60 anos paz mundial. O monumento consiste em 2.711 blocos de concreto distribuídos em fileiras paralelas sob uma superfície ondulada. Eles não contém nenhum texto, foto ou inscrição.

Os caminhos formados pelos blocos causam uma sensação agonizante à quem anda entre eles — o que foi justamente a intenção do arquiteto, que queria “representar um sistema supostamente ordenado que perdeu o contato com a razão humana”.

Além disso, por lá, há também uma sala subterrânea chamada de “Local da Informação”, que abriga uma exposição com detalhes biográficos dos milhões de familiares das vítimas do holocausto.

3. Vá até o Muro de Berlim

Impossível ir até a capital alemã e não visitar o Muro de Berlim, né? Construído da noite para o dia em 1961, trata-se do símbolo que, por 28 anos, separou a Alemanha entre os lados Oriental (socialista) e Ocidental (capitalista). A muralha tinha mais de 150 quilômetros de extensão e um total de 300 torres de observação — nas quais militares armados estavam prontos para atirar em quem tentasse pular de lado.

Felizmente, em 1989, o Muro de Berlim foi derrubado, garantindo a reunificação do país. No entanto, ainda é possível visitar alguns de seus vestígios e aproveitar para conhecer informações chocantes a respeito dessa época. Alguns dos lugares que você pode ir para ver o que restou (ou foi restaurado) da muralha para fins turísticos são:

  • Memorial do Muro de Berlim: no monumento, não só é possível ver a reconstrução de uma parte do muro, como também de uma torre de vigilância. Para guiar o visitante, há vários painéis informativos;
  • Topografia do Terror: o local abriga uma exposição gratuita e permanente sobre os horrores do nazismo. Como a maior parte de seus entornos foi preservada desde a criação, o visitante consegue ver partes do muro de Berlim. Além disso, é possível caminhar de lá até o Checkpoint Charlie — onde há uma reencenação do muro e muitas informações;
  • East Side Gallery: essa é a maior área preservada do muro (cerca de 2 km), situada em uma região alternativa de Berlim, onde há várias baladas famosas, além de uma incrível galeria a céu aberto repleta de pinturas.

4. Passeie na AlexanderPlatz

Carinhosamente apelidada de Alex pelos berlinenses, a AlexanderPlatz é uma das maiores e mais conhecidas praças da cidade. Palco de vários filmes históricos, hoje, o local é um importante centro comercial — reunindo mercados, galerias, shoppings e restaurantes para todos os gostos e bolsos —. Por lá, prepare-se para sentir o melhor da atmosfera da capital: você verá a diversidade de pessoas e culturas, apresentações de artistas de rua etc.

Entre as atrações turísticas presentes na praça, há o Urânia-Weltzeituhr, relógio que mostra o nome de diversas cidades do mundo a suas respectivas horas locais. Você pode aproveitar para caminhar pelos arredores da Alex e conhecer também a Fonte da Amizade Internacional e a Fernsehturm — torre de televisão mais alta de Berlim, na qual é possível comprar um ingresso, subir e obter uma vista privilegiadíssima da cidade.

Gostou das dicas e quer continuar por dentro de mais conteúdos imperdíveis sobre viagens? Então, aproveite que está aqui e siga as páginas da MaxMilhas nas redes sociais — estamos no FacebookInstagramTwitter e LinkedIn!

Fonte oficial: Blog MaxMilhas.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Locomotiva Viagens. Lembramos ainda que o Locomotiva Viagens é um site jornalístico, que apenas divulga as promoções de passagens aéreas, ele não vende nenhum produto ou serviço. Você deve comprar na empresa de sua preferência, sempre observando as regras de cada passagem.

EVENTO

Representantes do MTur apresentaram ações para posicionar o turismo como locomotiva da economia brasileira

Por Cecília Melo

Foto: CNM

Com o objetivo de promover as boas práticas de governança dos municípios turísticos brasileiros e a implementação da atividade turística como fonte de receita e geração de emprego, começou nesta quinta-feira (11), em Capitólio (MG), o I Seminário Nacional de Governança para o Turismo. O evento vai até sábado (13) e conta com a presença de representantes do Ministério do Turismo, além de mais de 700 gestores municipais, empreendedores do trade turístico brasileiro, especialistas e parlamentares.

Na abertura do encontro, o secretário nacional de Integração Interinstitucional do Ministério do Turismo, Bob Santos, falou sobre o potencial do turismo brasileiro e como tornar o país um destino mais competitivo no mercado mundial. Infraestrutura, abertura internacional do mercado, segurança, melhoria do ambiente de negócios e o setor como prioridade na agenda estratégia do país são alguns dos principais pilares para transformar o setor de Viagens no Brasil.

O secretário apresentou ainda as políticas públicas, resultados e metas estratégicas do Ministério do Turismo. “No Brasil, precisamos repensar o turismo de forma mais atual, que nos aproxime da realidade e nos permita definir uma estratégia que dure pelos próximos 15 ou 20 anos. Além disso, temos todos os elementos necessários para um turismo da pós modernidade, onde público e privado caminham de mãos dadas, fortalecendo o setor como mola propulsora da agenda econômica”, ressaltou Bob Santos.

Ainda nesta quinta-feira (11), o secretário do MTur participa também da mesa de debates sobe governança em políticas públicas para o turismo, ao lado do presidente da Frente Parlamentar Mista em Defesa do Turismo, deputado federal Herculano Passos (MDB-SP), e representantes da secretaria de Turismo de Minas Gerais e da Clia Brasil (Associação Brasileira de Cruzeiros Marítimos).

Também presentes no seminário, os coordenadores de Mapeamento e Gestão Territorial do Turismo e de Produtos Turísticos do Ministério, Ana Carla Fernandes e Cristiano Araújo, abordarão temas sobre o financiamento e captação de investimentos para o setor, bem como estratégias inovadoras para promoção e comercialização de produtos e serviços turísticos.

Promovido pela Confederação Nacional de Municípios (CNM), em parceria com a Associação Mineira de Municípios (AMM), a prefeitura de Capitólio e o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), o evento conta também com a Feira de Negócios Turísticos Destinos do Brasil – Edição Minas Gerais, onde produtos turísticos gastronômicos – queijo canastra, cachaça e pratos com peixes de pesca – são expostos, além de apresentações culturais do estado.

As contribuições dos participantes apresentadas nas palestras irão fazer parte de uma Carta que vai reunir reivindicações municipalistas. Esse documento será entregue às autoridades competentes. Para o presidente da CNM, Glademir Aroldi, o turismo representa um dos principais condutores de desenvolvimento sustentável de uma cidade, com o potencial de alavancar receitas e diminuir as dificuldades enfrentadas pela gestão municipal. “Dos mais de cinco mil municípios filiados à CNM em todos os estados, 2.960 são participantes do Mapa do Turismo Brasileiro, sendo 328 regiões turísticas. Minas Gerais possui 555 cidades com vocação turística. Por isso, a força dessa representação e da governança para o Turismo serão intensificadas em Capitólio”, destaca o presidente.

TURISMO EM MINAS GERAIS

Desde 2003, ano de criação da Pasta, o Ministério do Turismo investiu mais de R$ 500 milhões em obras de infraestrutura turística em Minas Gerais. No total, são 1841 obras, sendo que 1.557 já foram concluídas. O estado também conquistou, junto ao MTur, aprovação do Selo + Turismo para nove municípios e três projetos da iniciativa privada. Com a certificação do MTur, as propostas ganham prioridade na tramitação de financiamentos junto aos bancos de desenvolvimento, contemplando projetos para melhorar a infraestrutura turística da região.

De acordo com os últimos estudos divulgados pelo Ministério, o Anuário Estatístico e a Demanda Turística Internacional, mais de 81 mil turistas estrangeiros visitaram o Estado de Minas Gerais em 2018. O número é 45% maior que em 2017. As pesquisas registraram ainda que 95% desses visitantes internacionais têm a intenção de retornar à região. Segundo o governo do estado, entre os anos de 2015 e 2018, o aumento do fluxo turístico em Minas Gerais chegou a 14%. Nesse mesmo período, a receita turística teve ganho de 6%. Em 2018, ela foi de R$ 18,2 bilhões.

Atualmente, o turismo representa 12% de todas as atividades econômicas de Minas Gerais e a gastronomia é um dos pontos fortes para alavancar o setor de Viagens no estado, trazer emprego e renda e desenvolvimento regional. Com 96% de aprovação dos turistas que visitam Minas Gerais, a gastronomia só perde para a hospitalidade do brasileiro, índice de 98,1% de aprovação entre os serviços pesquisados. Além disso, a capital Belo Horizonte disputa, neste ano, o título no segmento de Gastronomia na Rede de Cidades Criativas da Unesco.

Edição: Vanessa Sampaio

Fonte oficial: Ministério do Turismo

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Locomotiva Viagens. Lembramos ainda que o Locomotiva Viagens é um site jornalístico, que apenas divulga as promoções de passagens aéreas, ele não vende nenhum produto ou serviço. Você deve comprar na empresa de sua preferência, sempre observando as regras de cada passagem.

É possível fazer renda extra com o seu cartão de crédito e é isso que a Mirna, do canal EconoMirna, explica nesse vídeo:

Se preferir, confira todas as dicas da influencer lendo este post! 🙂

A boa notícia é que os pontos do seu cartão de crédito podem ser transformados em milhas e isso significa mais dinheiro no seu bolso! Então, se você é o tipo de pessoa que torce o nariz para o cartão de crédito e acredita que ele é o vilão das finanças, está muito enganado, afinal o cartão de crédito não passa sozinho! E ele pode sim ser um ótimo aliado na hora de fazer renda extra.

Quanto mais você usa o cartão, mais pontos vai ter. Por isso, vale a pena dar preferência ao cartão de crédito, porque pagando em dinheiro ou no débito, você não recebe pontos. Claro que gastando dentro das suas possibilidades, não é, gente!?

Já pega a sua fatura e me diga quantos pontos você tem hoje! E outro ponto importantíssimo… muitas pessoas perdem os pontos simplesmente porque não se atentaram para a data de validade, então verifique o prazo de validade dos seus pontos junto ao seu banco, porque ponto é dinheiro! Põe isso na sua cabeça.

E a pergunta que não quer calar, como que eu faço com esses pontos para ter uma renda extra, hein?! 

Simples, pelo site da MaxMilhas.

Vou te explicar, fica calmo.

Pontos do cartão de crédito

Para você de fato ganhar dinheiro, comece transferindo os pontos do cartão de crédito para um programa de fidelidade de uma companhia aérea. Os principais aqui no Brasil são o Multiplus, que é da Latam, o Tudo Azul, da Azul, e a Smiles, da Gol. Quando seus pontos são transformados em milhas, você pode vendê-los no link da descrição do vídeo, uma maravilha. 

Mas você acredita que muita gente não embolsa esse dinheiro porque não sabe como fazer essa transferência?! I don’t believe it! 

Dica de ouro

Alguns bancos permitem que essa transferência seja feita via site ou aplicativo. Como é o caso do programa Livelo, do BB e do Bradesco. Em alguns casos, é preciso ligar na Central para fazer a transferência. É simples demais.

Se eu tivesse hoje 40.000 pontos no meu cartão de crédito e a Smiles estivesse com um bônus de 70% na transferência desses pontos, oh coisa boa. Ou seja, meus 40 mil pontos vão virar 68 mil pontos. Eu sempre espero promoção gente. 

É comum ter bônus de 40% a 80%, e às vezes chega a até 100%. Mas, ó, é sempre bom ficar atento ao regulamento e às letrinhas pequenas de toda promoção.

Mas presta atenção aquiiiii…para ter direito ao bônus, você tem que entrar no site da promoção e cadastrar meu CPF antes de fazer a transferência! Já cadastrei. Só aguardar que as milhas vão cair direto na minha conta da Smiles. 

No meu caso, eu escolhi a Smiles, que é o programa de fidelidade da Gol, porque está com bônus de 70% e um ótimo preço pra vender milhas na MaxMilhas. Você pode escolher o programa que quiser ou até mais de um, caso você consiga acumular muitos pontos sempre. 

Agora que você já compreendeu como acumular pontos e fazer a transferência para transformá-los em milhas, vou te mostrar como começar a ganhar dinheiro com isso. 

Quanto valem as milhas

Entrando no site da MaxMilhas, basta clicar em vender milhas. 

Temos aqui, vender milhas (na MaxMilhas você transforma milhas em dinheiro e faz mais pessoas voarem). Logo ao lado, temos a explicação de como funciona o processo e, abaixo, nós temos o valor médio das vendas feitas no site nas últimas 24h. 

Pra você ter uma ideia de quanto suas milhas estão valendo naquele dia, a MaxMilhas mostra o preço médio por companhia que você ganharia se vendesse 10.000 milhas.

Vale lembrar que essa é uma quantidade de milhas usada como referência. Dependendo do programa, você pode vender a partir de 3.500 milhas. Além disso, é você quem define seu preço, conseguindo vender por um valor até mais caro do que esse.

São as milhas Smiles vindas da transferência que eu vou colocar agora à venda. Se você tem pontos Livelo ou de qualquer outro programa de cartão de crédito, você pode fazer a transferência também!

Vamos clicar em “faça uma venda”.  Aparece a pergunta, em qual companhia estão suas milhas? As minhas estão na Smiles, programa da Gol.

Você consegue simular quantas milhas pretende vender e descobrir qual o valor poderá receber por elas. 

Renda extra

Simulação feita? Bora pra venda! Aí você vai se cadastrar, é bem rapidinho. Ou pode entrar com sua senha e login, que podem ser os mesmos que você usa para comprar passagens na MaxMilhas, se você já tiver um. 

Quantidade de milhas que tenho para vender, 68.000. E aqui embaixo aparece o valor que a MaxMilhas sugere pelas suas milhas. Esses valores que aparecem aqui têm como base os preços das ofertas feitas no site e servem para garantir que sua oferta fique mais competitiva para a venda. 

Então eu vou colocar um meio termo entre o valor sugerido, 24 reais, que é para acelerar a venda.

Já aparece o valor a receber, 1.632 reais pela venda dessas milhas. 

Clica em próximo e vem pra etapa de preencher os meus dados do programa de fidelidade. Cada um deles vai pedir informações um pouco diferentes, mas é tudo muito fácil.

Preenche as senhas (lembrando que a senha da Smiles é bem fácil, são só 4 números). Depois, aceita os termos e condições e pronto! Aí é só esperar. A MaxMilhas vai analisar todos os dados e, se estiver tudo certinho, sua oferta será aprovada.

Fonte oficial: Blog MaxMilhas.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Locomotiva Viagens. Lembramos ainda que o Locomotiva Viagens é um site jornalístico, que apenas divulga as promoções de passagens aéreas, ele não vende nenhum produto ou serviço. Você deve comprar na empresa de sua preferência, sempre observando as regras de cada passagem.

INVESTE TURISMO

No estado, duas rotas contemplam destinos como Salvador, Morro de São Paulo, Porto Seguro, Mata de São João e Santa Cruz de Cabrália

 Por Geraldo Gurgel

Em Salvador, o ministro interino Daniel Nepomuceno participou da apresentação do Investe Turismo. Crédito: Roberto Castro/MTur

Com cinco municípios contemplados pelas rotas estratégicas “Salvador e Morro de São Paulo” e “Costa do Descobrimento”, o programa Investe Turismo foi lançado nesta quinta-feira (11), em Salvador, pelo ministro interino do Turismo, Daniel Nepomuceno. O programa é realizado em parceria com a Embratur, o Sebrae e secretarias estaduais de turismo. A estrutura das ações gira em torno de rotas que vão trabalhar o desenvolvimento do turismo de forma regional e integrada, tanto com os parceiros públicos quanto com privados. Em todo o Brasil são 30 rotas turísticas, pelo menos uma por estado. O programa priorizou, inicialmente, 158 municípios estratégicos para o turismo.

“Esse programa vai colocar a indústria do turismo na rota do desenvolvimento e diminuir a distância entre o nosso potencial e a realidade do turismo na Bahia e no Brasil”, afirmou o ministro interino, destacando que as rotam reúnem qualidades para transformar as cidades em grandes destinos, além de proporcionar experiências memoráveis aos viajantes. “O trabalho em conjunto tem potencial para se transformar em parcerias e gerar resultados práticos na economia dos destinos.”

Daniel Nepomuceno também ressaltou que o novo cenário vai contribuir de forma decisiva para criar um posicionamento estratégico dos destinos no mercado doméstico de viagens e do Brasil no exterior. “O turismo é prioridade na agenda do governo e contamos com essa parceria para crescer e consolidar a atividade como vetor de importância expressiva da nossa economia.”

As primeiras rotas vão liderar um trabalho contínuo ao longo da atual gestão do MTur. O investimento inicial é de R$ 200 milhões. A parceria é primordial para o desenvolvimento do turismo baiano, mesmo onde a atividade já está consolidada, como na Rota Salvador e Morro de São Paulo, onde estão localizadas a capital baiana; Mata de São João, com destaque para a praia do Forte e Costa do Sauipe; e Cairu, onde ficam as ilhas de Morro de São Paulo e Boipeba. Já na Costa do Descobrimento, a rota estratégica contempla Santa Cruz de Cabrália e Porto Seguro, incluindo destinos com Trancoso, Arraial d`Ajuda e Caraíva.

“O objetivo do Investe Turismo é acelerar o desenvolvimento, aumentar a qualidade dos produtos e serviços turísticos, incentivar a competitividade e gerar empregos”, destacou Aluizer Malab, secretário nacional de Desenvolvimento e Competitividade do Turismo, ressaltando a importância de envolver “quem faz o turismo, atua na ponta e conhece bem a realidade do local.” Já o superintendente do Sebrae-BA, Jorge Khoury, disse que a regionalização e parcerias vão nortear as ações definidas para cada rota prioritária. “É o início de um grande projeto numa área muito importante para a economia da Bahia”, afirmou.

O secretário de turismo da Bahia, Fausto Franco, também defendeu a integração entre os destinos estratégicos incluídos nas rotas da Bahia. “Estamos apostando nessa parceria com o Ministério do Turismo, conectando destinos com produtos turísticos diferenciados e tecnologia para que o turismo dê a sua contribuição, ainda maior, na geração de emprego e renda para o estado”, disse o secretário ao destacar que a Bahia foi contemplada com alguns dos destinos mais visitados ao sul e norte de Salvador e com grande demanda de serviços, capacitação e governança.

Além de apresentar o Investe Turismo, o evento também serviu para divulgar as oportunidades de crédito e financiamento para o turismo como projetos públicos estruturantes e de empreendimentos privados do setor através do Prodetur + Turismo e do Fungetor. As linhas de crédito são executadas em parceria com o BNDES e outras instituições de desenvolvimento, como Banco do Nordeste, Caixa Econômica, Banco do Brasil e a Agência de Fomento do Estado da Bahia. Ao longo do dia foram feitos mais de 80 atendimentos.

Edição: Vagner Vargas

Fonte oficial: Ministério do Turismo

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Locomotiva Viagens. Lembramos ainda que o Locomotiva Viagens é um site jornalístico, que apenas divulga as promoções de passagens aéreas, ele não vende nenhum produto ou serviço. Você deve comprar na empresa de sua preferência, sempre observando as regras de cada passagem.

O rock ‘n’ roll está na veia dos amantes da música e também de algumas cidades pelo Brasil e pelo mundo. Descubra quais são os berços desse estilo musical!

Se há um estilo de música que é reverenciado, este estilo é o rock. Não existe quem nunca ouviu ou cantou alguma música do gênero. De Elvis Presley até os brasileiros do Legião Urbana, com certeza existe uma canção de rock para chamar de sua.

Com tantas bandas existentes, algumas cidades se tornaram verdadeiros berços do rock, sendo locais de fundação de grupos e cantores icônicos. Você tem alguma ideia de quais são elas? Siga o texto e descubra todas as cidades do rock espalhadas pelo mundo!

O rock e o seu dia

No dia 13 de julho é comemorado o dia mundial do Rock. Tudo graças a Phill Collins, que desejou a comemoração do dia após o Live Aid, de 1985. Esse show foi feito simultaneamente em Londres, na Inglaterra, e na Filadélfia, nos Estados Unidos e tinha o objetivo de arrecadar dinheiro para combater a fome na Etiópia.

Transmitido ao vivo para todo o mundo, o show contou com grandes nomes como Queen, Mick Jagger, Keith Richards, Ronnie Wood, Elton John, Paul McCartney, David Bowie, U2 e o próprio Phil Collins, que fez show nos dois lugares. Uma data histórica, sem dúvida nenhuma! 

As várias cidades do Rock do mundo

Entre os destinos conhecidos pela música, existem cidades que se destacam pelo grande número de bandas que saíram do mesmo local. A influência do rock é tão grande que o estilo faz parte da cultura dos habitantes. 

Um dos principais berços desta cultura rock ‘n’ roll está na Inglaterra. 

Liverpool

Não podemos falar de Rock sem citar uma de suas principais referências: os Beatles! O ‘fab four’ foi um verdadeiro fenômeno dos anos 60 e até hoje são influências na música, independente do estilo. 

A cidade de Liverpool conta com várias referências da banda e até mesmo as ruas onde os músicos moravam se tornaram pontos turísticos para seus fãs. Há também, no seu penúltimo álbum, a icônica foto na Abbey Road, que todo turista precisa repetir. Só que, neste caso, a rua fica em Londres – e ela também é uma cidade referência para o estilo musical.

Londres

A capital inglesa é uma referência e tanto quando falamos de rock. Na cidade do Big Ben, algumas das maiores bandas do mundo saíram e ganharam o mundo e o coração dos fãs da música.

Para se ter uma ideia, Londres é berço de Led Zeppelin, Rolling Stones, Queen, Pink Floyd e The Clash. Uma lista para lá de robusta e que a consolida como uma cidade referência quando o assunto é rock ‘n’ roll.

Manchester

A lista inglesa finaliza com mais uma cidade referência para o rock: Manchester! A cidade revelou para o mundo o The Stone Roses, o The Smiths e os irmãos Gallagher, fundadores do Oasis. 

Com uma lista tão extensa vinda da Inglaterra, um termo se tornou comum no mundo do rock: o British Rock. Todas essas bandas e cidades citadas foram responsáveis por fazer o rock britânico alcançar os mais diferentes lugares e todos os tipos de fãs. 

Seattle

Atravessando o Oceano Atlântico, chegamos em terras americanas. Aqui, as cidades do Rock também estão presentes de leste a oeste. Um ótimo exemplo é Seattle, o berço do Grunge. 

Somente dessa cidade saíram Pearl Jam, Nirvana, Soundgarden, Alice In Chains, Mudhoney, Screaming Trees, The U-Men e Jimi Hendrix. Uma lista para lá de robusta que faz o destino se destacar.

Los Angeles

A Califórnia é um paraíso com belas praias, mas também de grandes bandas. Uma das cidades do rock mais conhecidas, Los Angeles é berço de Red Hot Chilli Peppers, Guns N’ Roses, The Doors, Rage Against the Machine, Jane’s Addiction, Black Flag, The Germs – Hardrock e punk em geral. 

Chicago e Nova York

Outra cidade estadunidense figura na lista de templos sagrados do Rock. Em Chicago, The Smashing Pumpkins, Eddie Vedder, Cheap Trick, Muddy Waters, Bo Diddley, Patti Smith e Wilco foram alguns dos expoentes para o cenário mundial.

Já no local mais cosmopolita do mundo, Kiss, Blondie, Talking Heads e New York Dolls ganharam os palcos e fãs de todo o mundo saindo de Nova York.

Outros polos pelo mundo

Existem outros países que precisam ser citados na lista de destinos de Rock. Por exemplo, a Irlanda. O país europeu deu ao mundo Thin Lizzy, The Cranberries e o fenômeno U2, que conta com Bono Vox nos vocais. Sempre que possível, a banda traz consigo a sua raiz irlandesa. 

Na terra dos cangurus, outros grandes nomes se destacam. Nick Cave, Midnight Oil, INXS, Crowded House, Silverchair, Jet e o sucesso AC/DC. 

Brasília, a cidade do rock brasileiro

É claro que existe uma cidade brasileira que concentra um grande número de bandas de Rock. Estamos falando de Brasília, a capital federal. 

Foi na cidade que surgiu o Aborto Elétrico, por exemplo. Não reconheceu? Talvez se a gente falar sobre Capital Inicial e Legião Urbana você saiba melhor. Aborto Elétrico era a banda anterior que, ao se dividir, criou esses dois ícones do rock brasileiro.

Outras duas referências conhecidas do cenário nacional são a Plebe Rude e o Raimundos, vindos diretamente do Distrito Federal para conquistar todo o país.

E, claro, não podemos deixar de falar do Rio de Janeiro, a cidade do Rock! A capital fluminense já foi palco de grandes shows internacionais e nacionais naquele que é um dos maiores festivais de música do mundo.

Não faltam cidades do rock para conhecer e explorar, não é mesmo? Então coloque o pé na estrada, o fone no ouvido e conheça todos estes cantos com muito rock ‘n’ roll para embalar!

Fonte oficial: Blog MaxMilhas.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Locomotiva Viagens. Lembramos ainda que o Locomotiva Viagens é um site jornalístico, que apenas divulga as promoções de passagens aéreas, ele não vende nenhum produto ou serviço. Você deve comprar na empresa de sua preferência, sempre observando as regras de cada passagem.

Viajar é o hobby de muitas pessoas, seja porque gostam de conhecer a cultura de outros lugares seja porque precisam relaxar em meio a belas paisagens. Não importa a razão, viajar conta com uma série de benefícios, não só para o bem-estar como para a qualidade de vida.

Planejar o roteiro durante a estadia no destino, adquirir as passagens aéreas, organizar as malas e a expectativa que precede os dias que antecedem a data da viagem são apenas alguns dos momentos que envolvem essa deliciosa atividade. De qual deles você mais gosta?

No entanto, por mais que seja extremamente prazeroso viajar para os mais diversos destinos e conhecer novas pessoas, culturas, lugares, cenários, etc., sempre existem aquelas horas menos agradáveis. Entre elas, esperar o embarque do avião, os longos percursos, as filas e outros.

Muitas pessoas simplesmente não conseguem relaxar nesses momentos ou ficam bastante entediadas, ainda mais quando elas não têm o que fazer. Porém, essa situação muda completamente se você puder se distrair e se entreter com algo interessante. Concorda?

Como os podcasts ajudam nas viagens

Uma forma de deixar o tédio e a ansiedade para trás é bastante simples e fácil. Consiste em acessar e escutar os podcasts, que são áudios para ouvir em qualquer lugar e a qualquer momento. Assim, você pode se divertir e até se informar durante os deslocamentos e esperas.

Com certeza, a sua viagem vai ser muito mais interessante se você não tiver que passar por nenhum momento de aborrecimento ou aflição. E os podcasts são grandes aliados dessas horas. Interessou-se pelo tema e quer saber mais?

O que são podcasts, como funcionam, como ouvi-los e quais são todas as suas vantagens? Então, continue lendo este artigo e descubra como tirar proveito desse modo totalmente descomplicado de fazer as horas ociosas se tornarem muito mais agradáveis e produtivas. 

O que são podcasts

Podcasts são mídias em áudio, assemelhando-se a programas de rádio. No entanto, a diferença é que são todos gravados, assim, você pode escolher o que deseja ouvir, entre diferentes temas, na mesma hora.

Nos sites e aplicativos que oferecem os podcasts é comum que haja canais com temáticas diversificadas. Com isso, da mesma forma que acontece no YouTube, você pode assiná-los, para acompanhar a publicação de novos episódios.

Quanto aos temas, são inúmeros. É possível encontrar conteúdo dos mais variados assuntos. Alguns exemplos são música, cinema, finanças, esportes, concursos públicos, produtividade, marketing digital, humor, games e muitos outros. 

Como ouvir os podcasts

Para ouvir um conteúdo é muito prático, além de existirem diferentes formas, que variam de acordo com o aparelho que você estiver usando para escutar os áudios. Se você deseja conferir o conteúdo do seu computador desktop ou laptop, basta acessar o site do canal do podcast.

Esses conteúdos também são disponibilizados em plataformas, como Spotify, Deezer e Spreaker. Já se você tiver um smartphone, sendo que esse é o aparelho mais prático de escutar os áudios, inclusive, quando estiver viajando, é preciso usar um aplicativo. 

Se o seu dispositivo tiver o sistema operacional Android, basta fazer o download do app Google Podcasts, um dos mais populares para ouvir podcast. Por outro lado, se o seu aparelho for um iPhone ou iPad com iOS, saiba que eles já têm o app Podcasts, pronto para usar.

Agora, que você sabe o que são podcasts e como acessá-los, pode escolher o aplicativo para usar de acordo com o aparelho que possui. Munido dessa ferramenta, com certeza, as suas horas em deslocamentos, esperas e filas durante a sua viagem serão muito relaxantes.

Então, não se esqueça de conferir que aplicativo você deve usar, conforme o dispositivo que vai levar para a sua viagem. E faça o seu download para garantir que poderá escutar os áudios. Aproveite e já confira quais são os temas dos podcasts que mais lhe interessam.

Como surgiram os primeiros podcasts

Por mais que, nos últimos anos, os podcasts tenham se tornado mais populares, a questão é que eles não são nenhuma novidade. Na verdade, os mais remotos conteúdos de áudio, que se assemelham aos atuais podcasts, surgiram ainda em 2003.

No entanto, naquela época, eram bem diferentes, inclusive, a forma de ouvi-los, uma vez que os smartphones ainda eram coisa do futuro. Ou seja, para ouvir esses programas em áudio era necessário fazer o seu download, obrigatoriamente, para o seu computador.

Vale lembrar que, hoje em dia, também é possível baixar um podcast, em alguns canais, além de ser escutado online, o que tornou o seu acesso muito mais prático e atrativo. De qualquer forma, com o aparecimento dos tocadores de MP3, houve mais uma evolução.

O passo seguinte foi dado graças ao surgimento dos chamados agregadores de áudio. Afinal, eles têm a vantagem de informar o usuário quando há um novo áudio, sem a necessidade de ficar acessando o canal para descobrir se há novos episódios.

Além disso, nos primórdios do podcast, quando ele nem tinha esse nome ainda, foi o jornalista Christopher Lyndon o primeiro, ao menos que se tem notícia, a usar esse formato de áudio. Ele fez isso para enviar diferentes entrevistas em áudio para o seu público.

Pouco depois, foi a vez de Adam Curry enviar um programa de áudio para o iTunes que, na época, já era o famoso aplicativo da Apple, responsável por gerenciar arquivos de diferentes mídias. E foi a partir disso que surgiu o nome podcast.

Isso porque a palavra tem origem da união dos termos iPod, considerado o principal player portátil de áudio da época, e broadcast, que significa uma transmissão pública de informações. O responsável pela criação dessa expressão foi o jornalista britânico Ben Hammersley.

Aparecimento do podcast no Brasil

Tudo isso aconteceu entre 2003 e 2004 e, no Brasil, não foi diferente. O primeiro podcast a ser feito no país data de 2004, com o nome de Digital Minds. E não parou por aí, no mesmo ano, também foi lançado o Podcast do Gui Leite.

Em apenas um ano, surgiram muitos outros canais de podcasts que, mesmo de forma tímida, conquistaram ouvintes de todas as idades e gostos. Além disso, em 2005, aconteceu a PodCon Brasil, uma conferência sobre o tema, fomentando a criação dos áudios. 

Quais as vantagens de ouvir podcasts

Você pode ter se interessado pela vantagem de ouvir podcast durante a sua viagem, mas saiba que essa não é o único benefício desse formato de áudio. Hoje em dia, com a correria do dia a dia, o podcast se tornou um grande aliado das pessoas que buscam diversão e informação.

Afinal, esses conteúdos podem ser ouvidos a qualquer momento e de qualquer lugar, seja na academia, dentro do ônibus, esperando a consulta média, o atendimento no banco e mais uma série de ocasiões.

Portanto, flexibilidade é essa vantagem, e mais, em alguns canais, você pode também fazer o download no áudio. Isso quer dizer que você pode escutar o podcast mesmo sem estar conectado à internet, desde que tenha baixado o arquivo de áudio no seu aparelho móvel.

Mais um benefício de escutar o áudio é a economia de tempo, o que ajuda muitas pessoas que estão sempre sem tempo de parar para buscar conteúdos que lhe interessam. Isso porque, ao assinar os seus canais preferidos, você recebe notificações de novos áudios.

Isto é, não precisa ficar acessando os canais para saber se já foram postadas novidades. A economia de tempo também acontece porque você pode escutar os programas ao mesmo tempo que realiza outras atividades, como limpar a casa, lavar a louça e tomar banho.

Assim, não é preciso parar para ouvir o podcast. É possível praticar atividades físicas, cozinhar e cuidar do jardim enquanto ouve um programa para se informar ou mesmo para rir e se divertir. Além disso, há podcasts com durações diferentes, para combinar com o seu dia a dia. 

E, claro, mais um motivo para você não deixar de criar o hábito de ouvir podcasts é que eles são gratuitos. Isso mesmo, você não precisa gastar absolutamente nada para ouvir os programas que mais gosta. Isso é possível já que nos áudios existem anúncios que os mantêm.

Dicas de podcasts para ouvir na sua viagem

Agora que você já descobriu a forma certa de se distrair naqueles momentos de tédio que, infelizmente, toda a viagem tem, é possível que esteja se perguntado: por onde eu começo?

Afinal, já que há tantos canais de podcast, pode ser difícil escolher entre uma ampla gama de opções. Mas isso não é motivo de preocupação, pois uma forma simples de acessar canais com vários temas de programas de áudio é pelo site Dicas Curtas.

Nele, você vai se deparar com podcasts de temas variados, assim, basta escolher o que prefere ouvir agora mesmo. O Dicas Curtas possui os seguintes canais:

  • O Investidor Inteligente: nesse canal, é possível estar sempre bem informado com as melhores dicas sobre investimentos e finanças, com uma linguagem simples e fácil de entender. 
  • O Cara da Academia: se você deseja manter a saúde em dia e gosta de fazer atividades físicas, esse canal foi feito para você, uma vez que oferece diversas dicas que realmente funcionam, basta conferir.
  • O Mestre em Concursos: quem está estudando para os concursos públicos e quer ficar por dentro das novidades sobre esse tema vai encontrar nesse canal tudo o que precisa saber e como se preparar para as provas. 
  • O Expert em Marketing Digital: se você tem um negócio ou deseja promover a sua atividade profissional, saiba que esse canal conta com uma série de dicas para apostar no marketing digital e obter sucesso.
  • O Doutor Saúde: fique por dentro das principais dicas para ter qualidade de vida e bem-estar cuidado da sua saúde, já que esse canal sempre traz as principais informações e novidades a respeito do tema.
  • O Mago da Produtividade: produtividade é a palavra chave para negócios de sucesso e profissionais que desejam crescer na sua profissão e como fazer isso? Confira todas as dicas desse canal.

Com certeza, um desses assuntos ou mesmo todos eles o interessam, então, comece a se divertir e se informar com essas sugestões. E, depois, durante a sua viagem, continue acompanhando os novos áudios, que são disponibilizados para os seus assinantes.

Fonte oficial: Blog MaxMilhas.

Os textos, informações e opiniões publicados neste espaço são de total responsabilidade do(a) autor(a). Logo, não correspondem, necessariamente, ao ponto de vista do Locomotiva Viagens. Lembramos ainda que o Locomotiva Viagens é um site jornalístico, que apenas divulga as promoções de passagens aéreas, ele não vende nenhum produto ou serviço. Você deve comprar na empresa de sua preferência, sempre observando as regras de cada passagem.